CONTATOS

sexta-feira, 22 de junho de 2012

QUEBRANTAMENTO INTERIOR

QUEBRANTAMENTO INTERIOR PARA RELACIONAR-SE BEM COM AS PESSOAS
TEXTO: 7 Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao diabo, e ele fugirá de vocês. 8 Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês/ Pecadores, limpem as mãos, e vocês, que têm a mente dividida, purifiquem o coração. 9 Entristeçam-se, lamentem-se e chorem. Troquem o riso por lamento e a alegria por tristeza.  Tiago 4.7-9
Introdução
            Como cultivar relacionamentos sólidos e confiáveis?  Isto não será possível sem que, antes, as pessoas sejam quebrantadas em seu interior. O quebrantamento fortalece os laços de amizades, dissolve mal-entendidos e ameniza sofrimentos. Mesmo sendo constituída de indivíduos "imperfeitos", como eu e você, a igreja local é um ambiente capaz de promover uni­dade, conciliar harmoniosamente diferenças se as pessoas se dei­xarem quebrantar em seu orgulho e pretensões.
            As barreiras levantadas em nosso meio, motivadas pelo orgu­lho, muitas vezes, desequilibram a harmonia existente. Só o que­brantamento pode superar tudo isto.
Definição/discussão
            Por que às vezes, temos dificuldade de nos submeter àqueles que presidem sobre nós? Por que não nos damos bem com certas pessoas? Não seria, em parte, falta de um espírito quebrantado? Não é difícil perceber que é muito mais fácil relacionar-se com uma pessoa quebrantada, humilde de coração, do que com as orgulhosas. Pois ela não é intransigente, “o orgulho precede a queda”.
            A verdadeira vida de fé exige uma atitude de abertura e de acolhida de encontros surpreendentes com o próximo, porque Deus age criativamente. Ele não pode ser previsto nem controlado.
            É extremamente monótono relacionar-se com pessoas previ­síveis, porque não se alicerçam no que são, mas no que parecem ser.
            Por que determinadas pessoas, pelas mais variadas razões, se atrofiam na capacidade de compreender seus semelhantes? A res­posta é simples: falta de um relacionamento sério com Deus. Da nossa relação com Deus emerge uma percepção mais clara das pessoas.
            Por que muitos preferem se isolar das pessoas a interagir com elas? Será que, no fundo, não falta quebrantamento espiritual? Só evidenciaremos que estamos trilhando o caminho do ver­dadeiro quebrantamento, quando passarmos a ter mais consciên­cia de nossos pecados do que dos pecados dos outros. É aqui que começa o processo de aprofundar nossos relacionamentos.
            Quando nos quebrantamos, Cristo é revelado em nosso ser e as pessoas são beneficiadas com isto ao relacionarem-se conosco. Portanto, uma demonstração de que estamos no processo de quebrantamento é quando o sentimento de “desforra” se foi e passamos a viver em inteira dependência do Senhor.
            O quebrantamento é um processo que deve acontecer, na prática, em duas perspectivas:
·         vertical - disposição de se relacio­nar bem com Deus, submetendo-se a Ele;
·         horizontal - disposi­ção de se relacionar bem com o próximo, resolvendo os conflitos e fazendo restituição.
            Para andarmos nestas duas dimensões, temos que nos esva­ziar de nossa obstinação e pretensões egoístas. Jamais experimen­taremos a Deus de forma profunda e, conseqüentemente, nos rela­cionaremos bem com as pessoas ao redor, sem a integração destas duas perspectivas.
            Como nos achegarmos a Deus? Pela oração e súplicas intensas, expressando o que está em nosso coração. Todo aquele que, com sinceridade de coração, chega-se a Deus, com intenção apenas de aproximar-se mais Dele, é confrontado em seus pró­prios maus caminhos e tem que tratar pessoalmente com seus pecados.
1. "Limpem as mãos" - simboliza as nossas ações: atividades, retidão moral, ações sem culpa. As "mãos sujas" por atos de peca­dos contra o próximo necessitam de limpeza.
2. "Purifiquem o coração" - simboliza nossas atitudes, moti­vos e desejos; pureza moral e espiritual, como refúgio da persona­lidade do cristão. Portanto, os "corações manchados" espiritual­mente pela filosofia do mundo sem Deus, precisam ser puri­ficados; seus motivos conflitantes precisam ser tratados.
            Todo aquele que vai ao encontro de Deus, com o coração arrependido e humilde, manifesta em sua vida diária os sinais visí­veis de quebrantamento interior, apontados por Tiago:
3. "Entristeçam-se” - significa perceber sua própria miséria, afligir-se por causa da sua infidelidade passada. Esta percepção das nossas limitações humanas, no tocante à luta da carne em nos­sos membros, é sinal claro de quebrantamento interior.
4. "Lamentem-se” - quer dizer, sentir tristeza pelo pecado. Jesus diz que os quebrantados de coração serão fartos, isto é, serão justificados e santificados. O autor conclama os "pecadores" a adotar a atitude do publicano. Ao publicano só restava confessar que era um pecador. Ele nem ao menos ousou levantar os olhos para o céu (Lc 18.13).
5. "Chorem" - clamar em alta voz, expressando os sentimen­tos mais profundos de arrependimento sincero.
6. "Troquem o riso por lamento" - demonstrar frutos de arre­pendimento. Transforme a "folia" mundana em pranto. Timothy B. Cargal diz que o "riso" e "gozo" que vêm da "amizade com o mundo", devem ser substituídos por lamento, pranto e tristeza quando alguém percebe que se tornou "inimigo de Deus”. Isso implica em mudanças de rumo, de atitudes.
Perguntas para discussão
1) Pense um pouco em algumas pessoas, do seu círculo de ami­zade, que são realmente quebrantadas de coração. É fácil ou difícil relacionar-se com essas pessoas? Por quê?
2) Como seria uma igreja local composta de pessoas quebrantadas de coração?
3) O que poderíamos cultivar, como igreja, para que o número de pessoas quebrantadas de coração aumente significativamente em nosso meio?
Restauração
            O momento em que Deus nos convence do pecado não é para leviandade. Ao contrário, é o momento de nos prostrarmos diante de Deus e lamentarmos nossa pecaminosidade, impotência, frieza e aridez de vida. É o momento de nos humilharmos e chorar­mos por nosso materialismo, secularismo e formalismo e de mani­festarmos interior e exteriormente o “fruto do genuíno arrependi­mento".
            A vida é um culto. Deus quer um culto santo, isento de qual­quer ação pecaminosa, sem qualquer ruptura nos relacionamen­tos:
·                  Se quisermos ver a vida de Deus fluir através de nós, influ­enciando outras pessoas, temos que nos deixar quebrantar.
·                  Se quisermos crescer na capacidade de adorar e amar ao Senhor significativamente, temos que nos deixar que­brantar.
·                  Se quisermos ser pessoas livres e dedicadas ao Senhor, temos que nos deixar quebrantar, para a glória de Deus fluir de nós.
Benefícios
            Viver em quebrantamento nos possibilitará relacionamentos saudáveis dirigidos pelo Espírito de Deus.  Nos relacionaremos bem com Deus e com nossos irmãos. Não guardaremos ressentimento algum, pois entregaremos todo o nosso ser ao Senhor Jesus em rendição total. Viver nessa perspectiva deve ser o alvo do cristão, testemunhando assim da novidade de vida em Cristo para os que estão ao seu redor.
            Deus deseja operar em nós um “espírito quebrantado”, deixemos que Ele faça essa obra em nós sem resistência do ego. Uma vez que isso aconteça será grande a operação de Deus através das nossa vidas.

Referências bibliográficas
            BOL – Bíblia Online.
            NCB – Novo Comentário da Bíblia.
            Bíblia de Referência Thompson,   Bíblia da Mulher
            Comentário Bíblico Pentecoslal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p. 1682.
             MACDONALD, Willian. Comentário Bíblico Popular. São Paulo: Mundo Cristão, 2008, p. 896

Nenhum comentário:

Postar um comentário