CONTATOS

terça-feira, 28 de junho de 2011

O IMPACTO DO BOM TESTEMUNHO

Tema: O IMPACTO DO BOM TESTEMUNHO

Texto: Mat 8:18-22

18 Vendo Jesus muita gente ao seu redor, ordenou que passassem para a outra margem.

19  Então, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, seguir-te-ei para onde quer que fores.

20 E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.

Introdução

             À primeira vista esta passagem parece estar fora de lugar neste capítulo. Ele inclui vários milagres  e a primeira impressão é que esta passagem não encaixa bem em um  capítulo onde se narram somente feitos milagrosos. Por que Mateus o inclui aqui? Sugeriu-se que Mateus inclui esta passagem porque estava pensando em Jesus como o "Servo Sofredor". Acaba de citar Isaías 53:4: "Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças" (Mateus 8:17). De maneira muito natural, afirma-se, esta imagem leva o pensamento de Mateus à imagem seguinte, a de alguém que não tem um lugar onde repousar sua cabeça.  Como diz Plummer: "A vida de Jesus começou em um estábulo emprestado, e terminou em uma tumba emprestada". Sugere-se, pois, que Mateus inseriu esta passagem aqui porque tanto esta como a anterior, mostram a Jesus como o Servo Sofredor de Deus. 

            É possível. Mas muito mais possível é que Mateus tenha incluído esta passagem em um capítulo sobre milagres porque entendia que nela se relatava um milagre. Deve-se levar em conta que quem queria seguir a Jesus era um escriba. Dirigiu-se a Jesus usando o título mais alto que conhecia: "Mestre". A palavra grega é  didaskalos, que equivale ao hebreu rabbi. Para este escriba Jesus era o maior mestre que tinha ouvido ou visto em sua vida. Era verdadeiramente um milagre que um escriba outorgasse a Jesus esse título, e que queria segui-lo. Jesus propugnava a destruição e o fim do estreito legalismo sobre o qual estava construída a religião dos escribas. Era realmente  um milagre que um escriba visse algo de atrativo e apetecível em Jesus. Trata-se do milagre do impacto da personalidade de Jesus Cristo sobre os homens. 



Definição/discussão

              O impacto de uma personalidade sobre outra pode certamente produzir os efeitos mais maravilhosos. Muitos grandes eruditos foram lançados à sua carreira de estudo pela personalidade de algum de seus professores ou mestres, durante os anos formativos. Muitos são cristãos e servem como cristãos a seus semelhantes graças ao impacto que alguma grande personalidade cristã fez sobre sua vida. A própria pregação foi definida e descrita por alguém como "a verdade através de uma pessoa".  Isso é o bom testemunho que podemos dar: viver conforme a Palavra de Deus. Não há evangelismo mais impactante que esse.

            Não  termina o escriba de manifestar sua devoção quando Jesus lhe diz que as raposas têm covis, e as aves têm lugares para descansar nos ramos das árvores, mas o Filho do Homem não tem onde repousar sua cabeça. É como se Jesus dissesse: "Antes de me seguir, pensa muito bem o que vais fazer; antes de me seguir, calcula o custo." Jesus não queria seguidores arrastados por um momento de emoção que tão logo se acende como se apaga. Não queria homens que fossem arrastados por um mero  sentimentalismo, que com a mesma facilidade que podia levá-los a ele, podia apartá-los. 

            Queria seguidores que soubessem o que estavam fazendo. Falou de carregar uma cruz (Mateus 10:38). Falou até de ficar acima das relações mais tenras e potentes da vida (Lucas 14:26). Falou de dar tudo aos pobres (Mateus 19:21). Sempre dizia  aos homens: sim, já sei que seu coração corre para mim,  e quer me seguir, mas,  ama-me o suficiente para isso?" 

            Em qualquer esfera da vida os homens devem confrontar-se com a realidade. Se um jovem expressa o desejo de cultivar a erudição, devemos lhe dizer: "Muito bem, mas está preparado para deixar de lado os prazeres e viver dedicado ao  trabalho intelectual?" Quando um explorador está formando sua equipe, muitas pessoas se oferecem para acompanhá-lo, mas deve  separar os românticos dos realistas, dizendo: "Bem, mas está preparado para o gelo e a neve, para os pântanos e o calor tropical, para a fadiga e o esgotamento de dias e dias de marcha?" Quando um jovem quer chegar a ser  um atleta, o treinador deve lhe dizer: "Muito bem, mas estás preparado para a abnegação e a auto- disciplina que são as únicas coisas capazes de te dar a eminência a que aspiras?" 

             

Aplicação prática

            Não se trata de apagar o entusiasmo, mas sim de reconhecer que o entusiasmo que não enfrenta a realidade muito em breve se consome e somente ficam cinzas no lugar da chama. Ninguém poderá jamais dizer que seguiu a Jesus enganado. Jesus é absolutamente franco. Não estamos servindo a Jesus Cristo como ele quer que o façamos se levamos os homens a pensarem que o cristianismo é um caminho fácil de transitar. Não há coisa mais maravilhosa que seguir a Cristo, e não há glória como a que espera aos que chegam ao final do caminho; mas Jesus Cristo nunca disse que era um caminho fácil. O caminho para a glória sempre passa pela cruz.

            Nosso testemunho é a maior fonte de evangelização. As pessoas ao nosso redor nos observam e constantemente nos testam, para ver nossas atitudes e palavras. Não podemos estar presos aos bens materiais e viver por eles.

            O Apóstolo Paulo, na I carta aos Coríntios, capítulo dois versículo nove, afirma: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam”. Ou seja: o que nos espera é muito mais do que podemos imaginar. Mas, por desconhecermos isso, não valorizamos o que nos espera e passamos a viver uma vida limitada tão somente a este mundo; ao aqui e agora. Por essa razão valorizamos tanto o que conquistamos aqui neste mundo, tais como: Casas, carros, eletrodomésticos, nossa conta bancária. Ou seja: Os nossos bens. Valorizamos o que nós podemos comprar. Quem valoriza em demasia os bens materiais, na verdade é uma pessoa insegura, sem fé, sem confiança no Deus provedor. Por isso essa pessoa está sempre insegura, com medo do futuro, pela incerteza de como será o amanhã. Tais pessoas não conseguem confiar no Deus que é dono de todas as coisas; daí a insegurança.



Perguntas para discussão

1.      Por quais razões somos tão presos aos bens materiais?

2.      Isso nos impede de seguir a Jesus como ele ordena em sua Palavra?

3.      Você tem impactado as pessoas ao seu redor com o seu testemunho? Socialize experiências:



Restauração/Benefícios

            A vida cristã é uma vida de serviço sacrificial. O cristão pode ter que abandonar a ambição pessoal para servir a Cristo. Pode ser que descubra que o lugar onde pode oferecer o maior serviço a Jesus Cristo é um lugar onde a recompensa será pequena e o prestígio será nulo. Sem dúvida terá que sacrificar tempo e prazer a fim de servir a Deus mediante o serviço a seu próximo. Para expressá-lo em forma muito simples: pode ser que terei que sacrificar o conforto do lar, o prazer de uma visita a um lugar de recreio, pelas obrigações  impostas pelo fato de ser o maior dentro de um grupo, pelas exigências do ministério que exerço, a visita à casa de alguma alma triste ou sozinha.  Pode ser que tenha que sacrificar certas coisas que poderia possuir a fim de poder dar mais. A vida cristã é a vida de sacrifício, mas a recompensa é a vida eterna.



Referências bibliográficas

            BOL – Bíblia Online.  Bíblia de Referência Thompson. Bíblia da Mulher,             Dicionário Aurélio.

            S.E.McNAIR. A BIBLIA EXPLICADA

            HERBERT LOCKYER. Todas as parábolas da Bíblia. São Paulo. Vida, 2009

            COMENTÁRIO BÍBLICO MOODY,        NOVO COMENTÁRIO DA BIBLIA

             CARSON.D.A. O COMENTÁRIO DE MATEUS. São Paulo. Shedd, 2010

             WILLIAM BARCLAY  - Título original em inglês: The Gospel of Matthew

Nenhum comentário:

Postar um comentário