CONTATOS

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

RENDER-SE A DEUS O PRIMEIRO PASSO PARA VENCER



“Render-se” não é uma palavra muito popular, mas é quase tão malvista quanto a palavra ―submissão‖. Ela faz referência a perda, e ninguém quer ser um perdedor. Render-se evoca a desagradável idéia de admitir a derrota em uma batalha, perder uma competição ou entregar-se perante um adversário mais forte. Em nosso mundo competitivo somos ensinados a nunca desistir ou ceder — logo, não ouvimos falar muito de rendição. Se vencer é tudo, render-se é inconcebível. Preferimos contar sobre vitórias, sucessos, triunfos e conquistas, a falar de submissão, obediência e rendição. Contudo, render-se a Deus é uma resposta natural ao seu maravilhoso amor e misericórdia. Somos convidados a nos entregarmos a ele não por medo ou obrigação, mas por amor: “No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo... Nós amamos porque ele nos amou primeiro”. (1 João 4.18-19)
Se quisermos ter uma vida de adoração – uma vida que agrade a Deus – precisamos nos render, ou seja, nos entregar totalmente a Deus, e isso engloba diversas atitudes tais como:
 Fazer de Jesus o seu Senhor;
 Negar-se a si mesmo (próprias vontades);
 Submeter-se as orientações de Deus;
 Etc.

1.     BARREIRAS À RENDIÇÃO A DEUS
Existem três barreiras que impedem a nossa total rendição a Deus: medo, orgulho e falta de compreensão.

1.2  Medo

A confiança é um ingrediente essencial para que nos rendamos. Nós não iremos nos render a Deus, a menos que confiemos nele. O medo impede que nos rendamos, mas o amor lança fora todo o medo. Quanto mais nos dermos conta do quanto Deus nos ama, mais fácil será nos entregarmos totalmente.

·       Como posso saber que Deus me ama?
Ele dá vários indícios:
- Ele diz que nos ama: “O Senhor é bom para todos; a sua compaixão alcança todas as suas criaturas”. (Salmo 145.9)
- Ele tem bons planos para nossas vidas: “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês‟, diz o Senhor, „planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.” (Jeremias 29.11)
- A maior expressão deste amor é o sacrifício do filho de Deus por nós: “Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores”. (Romanos 5.8)
Eis o tanto que Deus nos ama!!!


1.2  Orgulho

Uma segunda barreira para a total rendição é o nosso orgulho. Não queremos admitir que somos apenas criaturas e que não estamos no controle de coisa nenhuma. Jesus disse: “Quem de vocês... pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?” (Mateus 6.27)

Qual é a grande verdade por trás desta afirmação de Jesus?
Somos extremamente limitados! Aceitamos nossa humanidade intelectualmente, mas não emocionalmente. Quando diante de nossas limitações, reagimos com irritação, raiva e ressentimentos. Desejamos ser mais altos (ou mais baixos), mais inteligentes, mais fortes, mais talentosos, mais bonitos e mais ricos. Queremos ter tudo e fazer tudo, e ficamos deprimidos quando isso não acontece.

1.3 Falta de compreensão

A terceira barreira para nossa total rendição é a falta de compreensão. Render-se a Deus não é conformar-se com as diversas situações difíceis ou mesmo encontrar uma boa desculpa para cruzar os braços. De outra forma render-se a Deus significa exatamente o oposto: sacrificar a vida ou sofrer, a fim de mudar o que precisa ser mudado. Deus freqüentemente chama pessoas que se entregam a ele, para batalhar em seu nome; render-se não é para covardes. Render-se a Deus também não significa desistir de pensar, pois Ele não desperdiçaria a mente que lhe concedeu! Também não significa eliminar a própria personalidade pois certamente Ele quer utilizar a nossa personalidade singular.

2.     RESULTADOS DA RENDIÇÃO A DEUS

Será que já compreendemos o que significa “nos rendermos” a Deus?
A benção de render-se a Deus A Bíblia é clara a respeito de como nos beneficiamos quando rendemos nossas vidas totalmente a Deus:

a) Nos sentimos em paz:

“Reconcilia-te, pois, com ele e tem paz, e assim te sobrevirá o bem”. (Jó 22.21 – Versão Linguagem de Hoje)

b) Nos sentimos livres:

“E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará”. (João 8.32) “Mas, graças a Deus, porque, embora vocês tenham sido escravos do pecado, passaram a obedecer de coração à forma de ensino que lhes foi transmitida. Vocês foram libertados do pecado e tornaram-se escravos da justiça”. (Romanos 6.17-18)

c) Experimentamos o poder de Deus em nossas vidas

Pessoas entregues a Deus são exatamente aquelas usadas por Deus. Deus escolheu Maria para ser a mãe de Jesus não por causa de seu talento, riqueza ou beleza, mas porque ela se havia rendido completamente a ele: “O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a cobrirá com a sua sombra” (Lucas 1.35)

CONCLUSÃO
Render-se a Deus não é a melhor maneira de viver, é a única maneira de viver; nada mais funciona. Se Deus tiver de fazer uma profunda obra em sua vida, ela começará por aqui. Então entregue tudo a Deus: os arrependimentos do passado, os problemas do presente, as ambições do futuro, seus medos, sonhos, fraquezas, costumes, mágoas e traumas. Ponha Jesus Cristo na direção de sua vida e tire as mãos do volante: “Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá” (Salmo 37.5)

2 comentários: