CONTATOS

terça-feira, 13 de setembro de 2011

O ALICERCE DO CASAMENTO CRISTÃO

O ALICERCE DO CASAMENTO CRISTÃO
     Na semana passada estivemos ministrando sobre família para irmãos - maridos e esposas - na Assembléia de Deus  - àrea do Santa Cruz. Foi uma benção! Segue o estudo que desenvolvemos na ocasião:        ]

O alicerce é a base sobre a qual se constrói um muro, uma casa, um edifício. A Bíblia diz em Lucas 6:48 “É semelhante a um homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou alicerce sobre a rocha; e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não a pôde abalar, por ter sido bem construída.”
            O ALICERCE do nosso casamento é a PALAVRA DE DEUS.

A) QUE É O CASAMENTO?
a) É uma instituição divina, Gn. 2: 18. Deus o estabeleceu, visando à felicidade do homem. Jesus mesmo ressaltou a importância do matrimônio e o confirmou como divino, Lc.10: 7-9c.
b) É uma união exclusiva, Gn. 2: 24. A idéia original de Deus para o casamento é a monogamia.   A recomendação bíblica é de que “...cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido", 1Co. 7: 2.
c) É uma união permanente. A indissolubilidade do casamento  é um dos valores em baixa em nossos dias. Para muitos, o matrimônio pode ser desfeito a partir do momento em que houver conflitos ou quando as partes envolvidas não combinarem mais. A Bíblia é clara com respeito a essa união permanente em Mc. 19: 9 e 1Co. 7:10-11. A expressão “unir”, de Gn. 2: 24, originalmente tem o sentido de colar, soldar, pressupondo que qualquer tentativa de rompimento trará efeitos devastadores.

B) QUAL O PROPÓSITO PARA O CASAMENTO?
a) Companheirismo, Ec. 4: 9-12. Ao criar o homem, Deus viu que não era bom que ele estivesse só, Gn 2: 18. Deu-lhe, então, uma companheira. Esse é um dos grandes propósitos do casamento: compartilhar as experiências e, juntos, construírem seu patrimônio.
b) Procriação. As pessoas se casam para dar continuidade à existência da família, Gn. 1: 28. Gerar filhos é uma conseqüência natural do amor dos cônjuges.
c) Para ter um ambiente onde se possa regular a vida sexual, Hb. 13: 4. Ao contrário do pensamento ascético, as funções sexuais do homem e da mulher foram uma dádiva de Deus para o prazer de ambos. Sendo assim, a vida sexual deve ser exercida dentro do matrimônio, Pv. 5: 15-19, numa relação onde exista o respeito, Hb. 13: 4; mutualidade, comunhão, compreensão, consideração e amor, 1Co. 7: 2-5 e 1Pe. 3: 7.
“O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher e, da mesma forma a mulher para com o seu marido.  A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido.  Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher.” 1 Coríntios 7.3-4.
            Casamento como instituição de Deus deve ser honrado…” Hebreus 13.4 Relacionamento sexual sem mácula “O casamento deve ser honrado; o leito conjugal, conservado puro…” Hebreus 13.4
            O sexo no casamento tem pelo menos três funções básicas:
- Procriar – Gênesis 1.28,29
- Evitar imoralidade – 1 Coríntios 7.1-5
- Dar prazer – Provérbios 5.15-19

d) Suprir as necessidades do cônjuge
ESPOSA
MARIDO
1.      Carinho/afeição
1.      Realização sexual
2.      comunicação
2.Companheirismo
3.      Honestidade/abertura
3.Uma esposa atraente
4.      Segurança (financeira)
4.Apoio doméstico
5.      Um bom pai
5.Admiração/respeito

C) O QUE A PALAVRA DE DEUS ENSINA SOBRE O CASAMENTO?

“Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne. E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam.” (Gn 2:24,25)

1.      DEIXAR – “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe...
            O fato é que quando casamos trazemos toda a carga familiar que adquirimos em toda a nossa criação. Normalmente não aprendemos que só devemos conservar essa herança familiar se ela for boa e o que acontece é que preservamos conosco o bom e o ruim, o que pode prejudicar o relacionamento conjugal. Portanto, para a realização plena da aliança é necessário amadurecimento e emancipação (Gn 2:24).
            Ao formarmos uma família, devemos aprender a tomar as decisões em casal, sem nos deixar influenciar pelas posturas de nossos pais e familiares. E para isso é preciso libertação de algumas amarras que muitas vezes tentam prender os cônjuges.
           
1.4.  Deixar a dependência emocional, geográfica e econômica.
 “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne.” (Gn 2:24)
             O casal, após firmar aliança, não deve morar com os pais de nenhum dos cônjuges, mas precisam ter em mente que construir uma família fala de viver um para o outro, cuidando um do outro. A provisão para o lar virá do trabalho dos dois e não mais dos pais, como antes.
1.5.  Deixar os hábitos e heranças espirituais da família.
 “...sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais...” (I Pe 1:18).
             Muitas vezes, em virtude da convivência com os pais corremos o risco de nos tornarmos vítimas de um comportamento que poderá nos aprisionar por toda a vida. E ao entrarmos no casamento precisamos renovar a mente com base na Palavra de Deus.
             Não podemos preservar conosco o que não é bom, por isso decida romper com todos os hábitos e heranças espirituais que você adquiriu em sua família que não contribuirão de forma benéfica para o seu relacionamento conjugal. Construa seu casamento firmado na Rocha.
1.6.  Deixar a influência de certas palavras
 “A morte e a vida estão no poder da língua, o que bem a utiliza come do seu fruto.” (Pv 18:21)
             A língua maligna destrói o caluniador, o caluniado e o ouvinte e a morte causada por essas palavras, na maioria das vezes não é física, mas é mortal, porque nem sempre pode ser vista, por isso mata a alma.
1.7.  Deixar problemas de relacionamento familiar
 “...tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem; e ninguém seja devasso, ou profano como Esaú, que por uma simples refeição vendeu o seu direito de primogenitura.” (Hb 12:15,16)
             Muitas pessoas foram vítimas de agressões físicas, emocionais, sexuais e hoje carregam amargura na alma, lembranças dolorosas que podem afetar os sentimentos em relação aos pais e conseqüentemente em relação ao cônjuge.
             A amargura prejudica o lar e impede que as bênçãos cheguem até o casal. Portanto, não alimente sentimentos negativos em sua vida, busque a cura de Deus para que você e o seu cônjuge tenham a melhor família de toda a terra.


2.      FIRMAR COMPROMISSO – “Se une a sua mulher”
            O casamento é um compromisso que exige fidelidade no cumprimento (votos). É um relacionamento permanente, monogâmico e exclusivo.

3.      EM UNIDADE – Tornando-se uma só carne...
- Uma expressão física;
- Pra haver unidade é necessário haver duas pessoas;
- não significa perda de identidade;
- não significa que o “mais forte” domina o “mais fraco”;
- cada um continua o que é e muito mais, por ser complementado com o outro;
- Desenvolvendo a unidade espiritual.

4.      EM INTIMIDADE – Ora, um e outro estavam nus e não se incomodaram” Gn 2:25
- intimidade espiritual;
- Intimidade intelectual;
- Intimidade emocional;
- Intimidade física;

D) COMO RESOLVER OS PROBLEMAS DO MATRIMÔNIO?

a) Solidificá-lo na Palavra de Deus, Mt. 7:24-27. Essa estrutura acontece através de uma dedicação à leitura, estudo e prática da Bíblia, a fim de que o lar encontre forças para resistir às tempestades e intempéries da vida.
b) Praticando o perdão, Ef. 4: 32. Devemos aprender a perdoar, da mesma forma como Deus nos perdoou em Cristo Jesus.
c) Crendo no poder restaurador de Jesus, Mc. 9: 23.  Se o diabo veio para matar, roubar e destruir, Jesus veio para  que todos tenham vida e a tenham em abundância, Jo. 10: 9-10. Não existe nada que Deus não possa realizar visando à felicidade e o bem-estar de seus filhos, Lc. 1: 37.

            Deus tem bênçãos para a família de Gênesis a Apocalipse. Como Seus filhos temos um direito e uma herança de vivermos cada uma dessas bênçãos. Não abra mão de ter uma família alicerçada nas bases que a Palavra apresenta. Usufrua as benesses de Deus para o seu relacionamento conjugal, dessa forma vocês só têm a ganhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário